sexta-feira, dezembro 14, 2007

sábado, dezembro 08, 2007

Projectos de Natal

Ei pessoal, não se esqueçam de começar a fazer a chávena de café e/ou caneca....
E porque não desde já desejar umas boas férias de Natal (que por sinal nunca mais chegam...)

quinta-feira, novembro 29, 2007

Técnicas de Modelação

Técnicas de Modelação - conjunto de métodos e processos de modelação.
TÉCNICA DA BOLA
Em cima de uma mesa e com o auxílio das mãos, rolar a argila até este apresentar a forma de uma bola. Utilizando os polegares, abrir um buraco na bola de argila, rodando e dando a forma do objecto que se pretende. As paredes da peça são trabalhadas de forma a ficarem com a mesma espessura podendo-se usar o teque como auxiliar.
TÉCNICA DO ROLO

O rolo é uma técnica muito antiga, ainda hoje utilizada para o levantamento de peças de argila. Numa superfície lisa e com o auxílio das palmas das mãos, efectuamos movimentos de vaivém, procurando fazer rolos finos e uniformes de argila. Enrola-se depois os rolinhos...
Após o rolo estar enrolado deve-se achatar a argila criando uma superfície lisa e de igual espessura. Vão-se colocando rolos uns por cima dos outros, não esquecendo de os colar com a barbotina. À medida que a parede vai subindo e com o auxílio dos dedos vai-se alisando não esquecendo de ter o cuidado de as paredes ficarem sempre com a mesma espessura. Deve-se continuar a usar a barbotina para uma melhor união dos rolos de argila.

TÉCNICA DA LASTRA

É uma técnica geralmente usada para a execução de peças em argila de forma cúbica ou cilíndrica. Com o auxílio de uma tabuinhas e de um rolo de madeira executa-se a lastra de barro que terá a espessura igual à altura das tabuinhas. Com um esquadro ou uma régua e utilizando um canivete, a lastra é cortada à medida do nosso trabalho. A execução de pormenores previamente desenhados é feita com o teque ou o canivete. Podemos executar o nosso trabalho mediante um plano previamente elaborado.

quarta-feira, novembro 21, 2007

sábado, novembro 17, 2007

Caracteristicas dos Materiais Cerâmicos

Plasticidade - é a propriedade que as argilas têm de se tornarem moldáveis após absorção de uma certa quantidade de água e de um tratamento que se chama, amassar. É a principal característica das argilas.



Resistência - é a propriedade que as argilas adquirem após a secagem e depois da cozedura, de não sofrer deformações do seu aspecto, resistindo ao calor e à corrosão.



Impermeabilidade - é a propriedade que as argilas adquirem após a cozedura, de não absorver qualquer líquido que a venha a dissolver. Ainda possibilita às peças conter líquidos sem os verter.



Sonoridade - é a propriedade que as argilas têm de após a cozedura de emitir sons, mediante batimentos com alguma força.




Cor - de acordo com a natureza da sua composição, a argila apresentará tonalidades diferentes. Os óxidos de ferro imprimem à argila novas cores, as argilas ricas em matéria orgânica apresentam tons acinzentados. A cozedura altera a cor inicial das argilas.


Outras Características – Maus condutores de electricidade e de calor; Dureza; etc.…

Materiais Cerâmicos

A argila é uma rocha sedimentar, constituída basicamente por silicatos de alumínio (silício com oxigénio, moléculas de água e alumínio), além de partículas de ácidos metálicos e matéria orgânica.
A sua composição (varia de acordo com os locais de extracção), apresenta certos minerais que determinam a cor, porosidade, dureza da peça e temperatura a que pode ser submetida.
Através da acção da água (chuvas, rios), as rochas vão sofrendo erosão permitindo a dissolução dos seus materiais solúveis que se vão depositando – ficando a argila.

  • Argilas primárias – quando a erosão/dissolução/depósito se faz no local de origem (rocha-mãe). Características: partículas grossas; cor clara; pouco plásticas; grande pureza; elevado nível de fusão;

  • Argilas Secundárias – quando os sedimentos são transportados e se depositam longe da rocha-mãe. Características: partículas mais finas; mais plásticas; com mais impureza; baixo nível de fusão;

sexta-feira, novembro 16, 2007

O Factor Humano - Ergonomia e Antropometria

O Factor Humano na concepção ou design de produtos é conseguido através da aplicação de duas ciências que se autoajudam e se completam - a Ergonomia e a Antropometria.


Ergonomia = Ergon (trabalho) + Nomos (lei);

  • É a Ciência que estuda a relação do homem com o seu trabalho, equipamento e ambiente onde se desenvolve, de modo a criar condições de segurança, satisfação e bem estar.

  • É o conjunto de conhecimentos científicos relativos ao homem e necessários para a concepção de ferramentas, máquinas e dispositivos que possam ser utilizados com o máximo de conforto, segurança e eficácia…

Antropometria = anthropos (homem) + Metron (medida);

  • É a Ciência que estuda os valores métricos parcelares e globais do corpo humano e as suas inter-relações com o meio, tendo em consideração a amplitude dos seus movimentos.

Concepção de um produto

Na concepção de um produto há que atender a certos factores fundamentais:
  • Desempenhar correcta e convenientemente a sua função;

  • Estar adaptado a quem o usa – factor humano.

  • Deve ser “amigo” do ambiente – factor ambiental.

  • Correcta relação preço/qualidade – factor económico.

quarta-feira, novembro 14, 2007

Feira de S. Martinho

Realizou-se na passada sexta-feira, dia 9 de Novembro mais uma Feira de S. Martinho cá na escola. Mais uma vez as condições climatéricas não eram as mais favoráveis. Desta feita o vento soprava forte e perturbou a montagem das barracas, dificultando imenso esse trabalho e a sustentação das mesmas.
De resto tirando esses problemas iniciais de montagem das barracas, tudo correu bem e acho na minha opinião que foi um sucesso. O público afluiu em força para este evento, para gaúdio dos alunos que assim arrecadaram algum dinheiro para aplicar em actividades, visitas de estudo etc.
Este ano e pela primeira vez desde que estou nesta escola, uma das minhas turmas arrecadou um prémio - o 2º lugar do 3º Ciclo. Foi um prémio merecido a meu ver já que o trabalho desenvolvido foi muito e foi um prémio para a turma - fiquei feliz por eles, no entanto os outros também mereciam.
Para o ano há mais...

terça-feira, novembro 06, 2007

Clube da Rádio

O Clube da Rádio vai reabrir a partir da próxima semana. Já estão entregues os horários aos grupos que se candidataram a este Clube. São quatro grupos com elementos de cinco turmas que se propuseram. Resta interagir com este clube e que se anime o espaço escolar.

quarta-feira, outubro 31, 2007

Plano de Actividades de E.T. 2007/2008

Estão previstas as seguintes actividades em Educação Tecnológica para este ano lectivo:
  • Visita de Estudo de 2 Dias à zona de Lisboa - visitar um ou dois centros produtores de Electricidade (EDP) e/ou Centro Ciência Viva + Visita á Mesquita de Lisboa (EMRC), destinada a alunos do 9º ano (datas e locais a confirmar);
  • Visita de Estudo ao Visionarium (Sta Maria da Feira) e Planetário (Espinho), destinada a alunos do 7º e 8º anos;
  • Exposição de trabalhos de Educação Tecnológica (Semana Cultural);
  • Exposição de Fotografia P/B e Digital;

sábado, outubro 20, 2007

Leonardo da Vinci - Exposição

Pintor, escultor, arquitecto e engenheiro, etc., Leonardo da Vinci foi o talento mais versátil da Itália do Renascimento. Os seus desenhos, combinando uma precisão científica com um grande poder imaginativo, reflectem a enorme vastidão dos seus interesses, que iam desde a biologia, à fisiologia, à hidráulica, à aeronáutica e à matemática. Um homem avançado na sua época, um génio visionário.

Vai estar presente no Pavilhão Rosa Mota (Palácio de Cristal) no Porto uma imperdivel exposição de muitas das suas obras. A mostra divide-se em vários sectores: Máquinas Civis, Máquinas Terrestres, Máquinas de Voo, Máquinas de Guerra, Máquinas Aquáticas, Anatomia e Arte.
A exposição em números:
Área da exposição – 2600 metros quadrados
Decoração interior e exterior – 8500 metros quadrados
Máquinas – 80
À escala Real – 37
Interactivas – 23De 13 de Outubro a 27 de Janeiro, das 10:00 ás 22:00. Não perca!!!

domingo, outubro 14, 2007

Investigação (Cont.)

Voltando ao nosso projecto, vamos proceder à análise de um objecto técnico com funções semelhantes ao que pretendemos fazer, ou seja vamos analisar uma chávena e pires de café e/ou uma caneca de café. Para isso os alunos terão que responder a uma série de perguntas por mim seleccionadas e que analisam o objecto na sua globalidade, nas suas diferentes partes e ainda no seu uso. Assim:


Estudo do Objecto na sua Globalidade

  • Como se Chama (designação)
  • Descrição da Forma
  • Descrição da Cor
  • Fim a que se destina
  • Custos de Produção
Estudo dos vários componentes do Objecto

  • Quantas partes tem (principal e acessórias)
  • Descrição dos materiais que constituem as várias partes
  • Forma das partes
  • Função dos diferentes elementos
  • Dimensões

Estudo do Objecto no seu Uso

  • Como se utiliza
  • Como funciona (principio de funcionamento)
  • Considerações gerais de carácter valorativo
  • Considerações gerais de carácter ergonómico
  • Comparação com objectos semelhantes

Resta agora analisar os objectos técnicos nestas vertentes. Não tens uma chávena e pires em casa para analisar (não me digas). Podes sempre usar a que se segue...

sexta-feira, outubro 12, 2007

Clubes

Este ano para quem ainda não sabe vão abrir brevemente os seguintes Clubes:

  • Clube da Rádio;
  • Clube de Música;
  • Clube de DJ;
  • Clube do Papel;
  • Clube da Saúde;
  • Clube de Fotografia;
  • Clube de Informática;
  • Clube do Ambiente;

E penso serem todos, mas se não forem é porque me esqueci ou inventei algum.

Da minha parte podem-me encontrar no Clube da Rádio e no Clube de Fotografia. Inicialmente só estava no Clube da Rádio, mas de modo a acompanhar o meu colega de disciplina no projecto de Fotografia pedi para mudarem no horario e assim tou no Clube de Fotografia (com horas no horário), mais algumas que vou dar por gosto pela causa e o Clube da Rádio vai ser mesmo por carolice - nas horas vagas vou dando apoio aquilo...

  • Clube de Fotografia - pretende-se recuperar a câmara escura da escola e os seus equipamentos um pouco degradados pela falta de uso e fazer fotografia a preto e branco á moda antiga. Serão também dadas aulas teóricas acerca da fotografia, dando alguns pormenores acerca desta actividade.
  • Clube da Rádio - pretendo recuperar novamente o espaço da rádio. O ano passado depois de uma festa parte da instalação ficou inoperacional, pelo que há agora um trabalho de recuperação do equipamento. Depois disso é acompanhar alunos que queiram dinamizar o espaço escolar...

Façam a vossa inscrição se estiverem interessados. Estejam atentos ás vitrines pois vão aparecer cartazes e avisos de inscrição.

Mais tarde e nas Aulas de Área de Projecto pretendo criar um Jornal da Escola online e em formato papel e ainda fazer novamente uma incursão na fotografia digital.

Participem!!!

terça-feira, outubro 09, 2007

Investigação (cont.)

Vamos agora analisar objectos com a mesma função que a chávena e pires e ainda as causas da sua utilização—o café e a sua utilização pelo homem…

Componente Psicológica— relação entre o objecto e o seu utilizador. O Café e o utilizador//O objecto de servir café em Portugal será diferente do de outro país//Tomarão os chineses café…
As origens do café...

Corre uma lenda sobre as origens do café contando que, num dado momento do século III d. C., um pastor de cabras, chamado Kaldi, certa noite ficou ansioso quando suas cabras não retornaram ao rebanho. Quando saiu para procurá-las, encontrou-as saltitando próximo a um arbusto cujos frutos estavam mastigando e que obviamente foi o que lhes deu a estranha energia que Kaldi nunca vira antes. Dizem que ele mesmo experimentou os frutos e descobriu que eles o enchiam de energia, como aconteceu com o seu rebanho. Kaldi evidentemente levou essa maravilhosa "dádiva divina" ao mosteiro local, mas as reacções não foram favoráveis e ele ateou fogo nos frutos, dizendo serem "obra do demónio". O aroma exalado pelos frutos torrados nas chamas atraiu todos os monges para descobrir o que estava causando aquele maravilhoso perfume e os grãos de café foram rasteados das cinzas e recolhidos. O abade mudou de ideia, sugeriu que os grãos fossem esmagados na água para ver que tipo de infusão eles davam, e os monges logo descobriram que o preparado os mantinha acordados durante as rezas e períodos de meditação. Notícias dos maravilhosos poderes da bebida espalharam-se de um mosteiro a outro e, assim, aos poucos espalharam-se por todo mundo.
As evidências botânicas sugerem que a planta do café origina-se na Etiópia Central (onde ainda crescem vários milhares de pés acima do nível do mar). Ninguém parece saber exactamente quando o primeiro café foi tomado lá (ou em qualquer parte), mas os registros dizem que foi tomado em sua terra nativa em meados do século XV. Também sabemos que foi cultivado no Iémen (antes conhecido como Arábia), com a aprovação do governo, aproximadamente na mesma época, e pensa-se que talvez os persas levaram-no para a Etiópia no século VI d.C., período em que invadiram a região.
À medida que o café tornou-se cada vez mais popular, salas especiais nas casas dos mais abastados foram reservadas para se tomar café, e casas de café começaram a aparecer nas cidades. A primeira abriu em Meca, no final do século XV e início do XVI e, embora originalmente fossem lugares de reuniões religiosas, esses amplos saguões onde os clientes se sentavam em esteiras de palha ou colchões sobre o chão, rapidamente tornaram-se centros de música, dança, jogos de xadrez, gamão, conversas em locais em que se faziam negócios. A primeira abriu em Meca, no final do século XV e início do XVI e, embora originalmente fossem lugares de reuniões religiosas, esses amplos saguões onde os clientes se sentavam em esteiras de palha ou colchões sobre o chão, rapidamente tornaram-se centros de música, dança, jogos de xadrez, gamão, conversas em locais em que se faziam negócios.
Sua popularidade espalhou-se por Cairo, Constantinopla e para todas as partes do Oriente Médio, mas os muçulmanos devotos desaprovavam todas as bebidas tóxicas, incluindo o café, e consideravam as casas de café como uma ameaça à observância religiosa. Às vezes, esses centros populares de diversão eram atacados e destruídos por fanáticos religiosos, e alguns governantes apoiavam a proibição do café e impunham punições aterrorizadoras: aqueles que desobedecessem poderiam ser açoitados, presos dentro de um saco de couro e atirados no Bósforo.
Enquanto isso, comerciantes europeus da Holanda, Alemanha e Itália certamente estavam exportando grãos e, também, tentando introduzir a lavoura em suas colónias. Os holandeses foram os primeiros a iniciar o cultivo comercial no Sri Lanka, em 1658, e então em Java, em 1699, e por volta de 1706 eles estavam exportando o primeiro café de Java e estendendo a produção para outras partes da Indonésia. Em 1714, os holandeses bem sucedidos presentearam Luís XIV da França com um pé de café que cresceu numa estufa em Versailles e quando deu frutos, as sementes foram espalhadas e as mudas foram levadas para o cultivo na ilha de Réunion, na época chamada de Ilha de Bourbon. A variedade de arbustos de café que se desenvolveu daquela árvore em Paris tornou-se conhecida como o café Bourbon e foi a fonte original de grãos hoje conhecidos no Brasil como Santos e no México como Oaxaca. (…)

Investigação (cont.)

Analisar as informações disponibilizadas na definição da situação/problema;
Componentes do Problema: P1—Chávena; P2—Pires; P3—Embalagem;

P1—Chávena: design inovador e arrojado; destacar-se objectos semelhantes; material cerâmico; relação qualidade/preço/inovação; público-alvo;

P2—Pires: design inovador e arrojado; destacar-se objectos semelhantes; material cerâmico; relação qualidade/preço/inovação; público-alvo;

P3—Embalagem: individual; apelativa; condizer com chávena e pires; material cartão/cartolina; relação preço/desempenho; público-alvo;

Necessidade de mais informações/esclarecimentos—marcar reunião com a empresa;

sexta-feira, outubro 05, 2007

Investigação

Estando na posse da nossa situação/problema a resolver há que passar à fase da investigação. Vamos investigar e reunir o máximo de informação possível de tudo o que tenha a ver com a nossa situação/problema.
  • Analisar as informações disponibilizadas na definição da situação/problema;

  • Componentes do Problema: P1—Chávena; P2—Pires; P3—Embalagem;

  • Componente Psicológica— relação entre o objecto e o seu utilizador. O Café e o utilizador//o objecto de servir café em Portugal será diferente do de outro país//Tomarão os chineses café…
  • Componente Física—relaciona a forma do objecto sob dois aspectos:
    • Sincrónica— Observar e analisar os objectos actuais com a mesma função;
    • Diacrónica— Analisar os objectos do passado com os actuais, com a mesma função, de modo a conhecer o seu percurso histórico e a sua evolução (redesign).

  • Reunir informação acerca de: características dos materiais a usar; técnicas a usar; análise técnica do objecto; ergonomia/antropometria; design, etc.;
  • Reunir a informação (textos, recortes, fotos, esboços) de forma a ser facilmente consultada;

Situação/Problema

Tudo começa com uma situação problemática ou uma necessidade que pretendemos saisfazer ou resolver. Neste caso será uma situação fictícia, mas que poderia bem ser um caso real...

Projecto: Design de Equipamento - Chávena de Café

Situação/Problema:

Uma empresa de distribuição de cafés, de nome NewStyle, lança um desafio aos alunos da Escola EB2,3 de Alpendorada que frequentam o 9º ano da disciplina de Educação Tecnológica. O desafio consiste no estudo e apresentação de um protótipo de uma chávena e pires de café e respectiva embalagem. Este destina-se a equipar casas comerciais (cafés/restaurantes) e ainda outros espaços (culturais, lazer, etc.) que consumam produtos NewStyle.

O protótipo a apresentar deverá ter um design o mais inovador e arrojado possível em termos de forma e cor e deverá destacar-se dos objectos semelhantes existentes no mercado — no entanto deverá cumprir a sua função principal—servir para beber café.

O material a utilizar no protótipo deverá ser do tipo cerâmico (argila, massa de moldar, gesso) e deverá atender a uma relação qualidade/preço/inovação.

A embalagem a realizar deverá ser individual e deverá ser apelativa e a condizer com o protótipo de chávena e pires. É importante considerar a protecção do protótipo e considerar uma atenção a uma relação preço/desempenho da mesma.

O público-alvo a que se destina este protótipo é arbitrário, podendo ser o mais variado possível, já que se pretende soluções para um público-alvo muito variável.

quarta-feira, outubro 03, 2007

Metodologia Projectual

Para realizar qualquer projecto, para solucionar qualquer problema há que fazê-lo com método e obedecendo a certos passos. Podem não ser escrupulosamente estes, mas são com certeza muito parecidos com estes que se seguem. Nas minhas aulas são estes que utilizo com os meus alunos:

Poupar Água...

quarta-feira, setembro 26, 2007

terça-feira, setembro 25, 2007

Mudança de Visual

Depois de dois anos de actividade deste blog (acho eu), sempre com o mesmo visual, decidi mudar um pouco o aspecto desta coisa e deu nisto. Não fechem já a janela - estão no mesmo blog de sempre. Está é tudo um pouco diferente...
Disfrutem do nosso visual e dos conteúdos aqui expostos.
E já agora, comecem a interagir com este blog - comentem...

segunda-feira, setembro 24, 2007

A Tecnologia e o Homem

“Se calhar existe um equívoco na relação que temos com a tecnologia. Chegámos a um ponto em que , como escreveu Edward Bond, já não conseguimos afirmar com toda a certeza se a tecnologia corresponde às nossas necessidades ou se, pelo contrário, são as nossas necessidades que andam a ser moldadas pelas conveniências da tecnologia.”

Pedi aos moços para comentar esta frase e dizem eles...

-Vida do homem está a ser influenciada pela tecnologia;
-Tecnologia comanda o homem;
-As inovações tecnológicas não são necessariamente todas necessárias (indispensáveis) ao homem;
-Nem toda a tecnologia é boa, alguma pode causar dependências;
-Homem dependente da tecnologia;
-Tecnologia precisa do homem para os avanços e o homem precisa da tecnologia para o dia-a-dia;
-Nem sempre a tecnologia satisfaz as nossas necessidades, por vezes a tecnologia cria necessidades para o homem;
-A Tecnologia avança mais depressa que as necessidades do homem;
-Existe uma incerteza – já não se sabe se a tecnologia satisfaz as nossas necessidades ou se a tecnologia cria necessidades para se satisfazer;

quinta-feira, setembro 20, 2007

O que é a Tecnologia?

Definições: (qual delas a mais correcta ...)
  • Ciência que estuda a técnica;
  • Reflexão sistemática sobre os problemas sugeridos pela técnica;
  • Aplicação do conhecimento cientifico para conseguir um resultado prático;
  • É um termo que envolve o conhecimento técnico e científico e as ferramentas, processos e materiais criados e/ou utilizados a partir de tal conhecimento;
  • As técnicas, conhecimentos, métodos, materiais, ferramentas, e processos usados para resolver problemas ou ao menos facilitar a solução dos mesmos;
  • A aplicação de recursos para a resolução de problemas;
  • O encontro entre ciência e engenharia;
  • (...)

O que é a Técnica?

Definições: (qual delas a mais correcta ...)
  • Caracteriza-se por ser um conjunto de procedimentos e recursos de que se serve a ciência ou a arte;
  • É o procedimento ou o conjunto de procedimentos que têm como objetivo obter um determinado resultado, seja no campo da Ciência, da Tecnologia, das Artes ou em outra atividade. Estes procedimentos não excluem a criatividade como fator importante da técnica. A técnica implica no conhecimento das operações, como o manejo das habilidades, tanto das ferramentas como os conhecimentos técnicos e a capacidade de improvisação. ...
  • É o acto de fazer, do executar. É uma arte, e como tal assenta no saber prático e operacional que nos possa conduzir à obtenção de resultados - objectos - concretos e precisos, através da utilização adequada de materiais, instrumentos ou máquinas;

O que é a Ciência ?

Definições: (qual delas a mais correcta ...)
  • Conjunto de Conhecimentos que o homem possuí em determinada época;
  • Estudo da Natureza rigorosamente de acordo com o método científico;
  • É o conjunto de informações sobre a realidade acumuladas pelas várias gerações de investigadores depois de devidamente validadas pelo método científico;
  • O processo de recolha e validação de informações sobre a realidade;
  • Investigação metódica das leis que regem os fenómenos;
  • É o conhecimento ou um sistema de conhecimentos que abarca verdades gerais ou a operação de leis gerais especialmente obtidas e testadas através do método científico. O conhecimento científico depende muito da lógica;
  • Investigação racional ou estudo da natureza, direccionado à descoberta da verdade. Tal investigação é normalmente metódica, ou de acordo com o método científico;
  • (...)

terça-feira, setembro 18, 2007

Primeiras aulas

Lá começaram as aulas e lá conheci todas as minhas seis turmas deste ano. Conheci como quem diz - este ano só tenho uns cinco alunos que não conhecia, de resto já tudo passou pelas minhas mãos.
É um bocado estranho nalgumas turmas este reencontro. Já não me lembro de alguns nomes, sinto que nalguns casos mais especificos tenho que tornar a fazer um longo trabalho de aproximação para que alguns alunos (e vejam bem isto) abram a boca na sala de aula - tenho alunos que não abrem a boca e outros abrem demais, o que se formos a ver é mais normal.
Existe no entanto um à vontade muito grande entre professor e alunos, ambos nos conhecemos muito bem - um ano dá para conhecer bem as pessoas e ainda há os casos de ter alunos dois anos seguintes (2 turmas)...
E neste inicio de ano lectivo, ainda muito precoce, fiquei surpreendido com algumas aulas em que no meio de alguma agitação e ansiedade, senti respeito e consideração pela minha pessoa, notei empenho e notei acima de tudo o crescimento de alguns alunos - já são pequenos homens e mulheres (pelo menos alguns).
Não vale a pena o professor ser autoritário e rigido porque se os alunos quiserem estragam uma aula e dessa forma perdem também muitos alunos. No meu caso tento ser precisamente o contrário - ponho responsabilidade neles pelos seus actos, coloca nas mãos deles o seu futuro na disciplina que lecciono e acho que vai resultar - pelo menos nos anos anteriores tirando uma ou outra situação a coisa correu bem...
O horário é algo complicado em termos de turmas e disciplinas, algo desgastante para o professor, mas também para os alunos e ambos sabem isso e vão tentar (estou eu a falar por eles) que esse desgaste traga frutos e seja empregue em coisas produtivas e enriquecedoras...

terça-feira, setembro 04, 2007

O Regresso...

Depois de uma longa ausência - cerca de dois meses - tou de volta a este espaço. Foram dois meses em que parte deles foi em férias outra parte ainda em trabalho, mas que nada de novo havia a salientar neste blog.
Iniciando novo ano lectivo (foi hoje) com a reunião geral ficou-se a conhecer os horários e os novos colegas (poucos). Quanto a horários já nem me queixo - os de Educação Tecnológica são impossiveis de ser melhores (digo eu), mas no combito geral da escola são dos piores. Tenho menos três turmas o que é bom, das nove do ano passado passo este ano a ter seis e essas são já minhas conhecidas já que há total continuidade desde o ano passado, perdendo somente uma turma (temos pena, mas acontece...). Quanto a colegas novo, tenho novo colega de grupo e acho que a coisa vai correr bem. Além disso estreia-se a nova sala - mais pequena, com menos recursos, mas mais aconchegante...
Não me esticando mais as turmas que terão que me aturar este ano serão as seguintes:
8º B; 9º A; 9º B; 9º C; 9º D; 9º F.
Duas delas será o terceiro ano que as acompanho enquanto que as restantes será o segundo ano. Estou contente já que tenho turmas que queria continuar e outras nem tanto, mas penso que se conseguirá fazer um bom trabalho com todas.
Esta história toda tem o senão de não conhecer alunos novos -serão na sua quase totalidade meus velhos conhecidos...
Bem, até dia 14 então - dia em que começam as aulas na escola.
Até lá aproveitem bem o que resta das férias, já que na escola vai ser muito trabalhinho...

terça-feira, julho 03, 2007

Férias

Apesar de ainda não estar de férias - ainda tenho um mês de trabalho, acho que mais nada se vai passar por aqui, pelo que declaro oficialmente este blog de férias. Em Setembro espero voltar com novidades e pronto para mais um ano lectivo.
Este ano lectivo foi um dos melhores que já tive, foi muito bom em termos relacionais com colegas e principalmente com alunos meus e sem serem meus. Foi fantástico.
A todos eles as maiores felicidades e boas férias...
E para mim também...


segunda-feira, junho 25, 2007

O Adeus à Sala 25 (Sala de ET)

Depois de três anos a trabalhar na sala 25 desta escola, foi hora de dizer o adeus. Apesar de tudo era uma boa sala, que de certo modo vai deixar saudades...
A partir do próximo ano lectivo será ali a Biblioteca da escola. Fica a ganhar a escola sem dúvida, já que a biblioteca actual é minuscula, no entanto, acho que não vão encontrar nesta escola uma solução à altura para a disciplina de Educação Tecnológica. Apesar de não estar para já minimamente preocupado com a situação prevejo a colocação da disciplina numa sala sem condições. A ver vamos...
Resta recordar a sala 25 tal como ela era...

domingo, junho 24, 2007

Exposição de Educação Tecnológica

No final do ano lectivo lá se realizou a exposição de trabalhos de Educação Tecnológica. Deu muito trabalho montar e desmontar a exposição, já que estivemos fora da nossa sala. Sala essa que vai deixar de existir - para o próximo ano lectivo seremos colocados noutro local (pressinto que para piores condições, mas a ver vamos).
Com tal azafama nem deu para apreciar as outras exposições ou actividades e acho que foi um trabalho meio que inglório, mas isso são outras histórias.
Mais uma vez a exposição tinha trabalhos de grande qualidade e outros nem tanto, mas mostrou-se ali muito trabalho e o que se pode fazer nesta disciplina. Ficam algumas fotos da dita exposição:

terça-feira, junho 12, 2007

Exposições

Como sempre nos finais de ano e desde que estou nesta escola, vai haver uma mostra dos melhores trabalhos que os alunos desenvolveram ao longo deste ano lectivo. Foram enúmeras as actividades que o grupo promoveu ou em que participou e são enúmeras as fotos tiradas que possivelmente serão também mostradas nessa esposição.
Este ano iremos sair do nossa sala e iremos expor na sala 7 do pavilhão de baixo. Tentaremos que a mesma seja o mais agradável possivel e que tenha algumas atrações e zonas para experimentar algumas coisas.
A exposição será montada dia 21 da parte da tarde (5ª feira) e estará aberta ao público nesse dia à noite e no dia seguinte dia 22 (sexta-feira) todo o dia. Quem quiser aparecer para ajudar a montar a exposição e para a ver estão desde já convidados.
Até lá...

sexta-feira, junho 08, 2007

Porta-Lápis - 7º ano

As turmas do 7º B e do 7º E brindam-nos com o projecto "Porta-Lápis". Observem algumas fotos: (a ideia era boa, os croquis ficaram porreiros, pena foi a falta de empenho e de recursos para fazer um projecto em condições. E há também a dizer que da minha parte o empenho e motivação para este projecto não foi muito. São muitas turmas e este ano dediquei-me mais aos 8ºs e 9ºs anos.)

quinta-feira, junho 07, 2007

Chávena de Café + Embalagem - 9º anos

As turmas do 9º C e do 9º D brindam-nos com o projecto "Chávenas de Café" e respectiva "Embalagem". Observem algumas fotos:


Detector de Nervosismo - 8º anos

As turmas do 8º A, do 8º B e do 8º C brindam-nos com o projecto "Detector de Nervosismo". Observem algumas fotos:


quarta-feira, junho 06, 2007

Candeeiro Eléctrico - 8º anos

As turmas do 8º F e do 8º D brindam-nos com o projecto "Candeeiro Eléctrico" realizados utilizando Polipropileno. Observem algumas fotos: